Vila Verde

Escola profissional com participação pública quer trocar Porsche por outro carro de luxo

Escola profissional com participação pública quer trocar Porsche por outro carro de luxo

A Escola Profissional Amar Terra Verde, detida 51% pela sociedade Val d'Ensino, e 49% pelos municípios de Amares, Vila Verde e Terras de Bouro, lançou um concurso público, em regime de locação financeira, para adquirir um carro de luxo, com preço-base de 100 mil euros. Bancos com função de massagem e controlo por gestos são alguns dos requisitos. Para retoma, a escola tem um Porsche, de 2012.

Num comunicado conjunto, enviado ao JN, os municípios garantem que "não têm qualquer responsabilidade financeira na respetiva sociedade".

"Todos os atos praticados assim como a sua responsabilidade não pode ser atribuída aos municípios dos quais se demarcam desde já, sobretudo dos exageros que possam ou sejam cometidos como já aconteceu noutros momentos", acrescentam os responsáveis autárquicos.

Segundo o caderno de encargos assinado pelo gestor da sociedade Val d'Ensino, João Nogueira, a escola pretende adquirir uma viatura de seis lugares com 265 cavalos, de cor cinza, novo ou usado, mas que não tenha mais de 11 mil quilómetros. Volante desportivo e acabamentos do painel de instrumentos em pele, bancos dianteiros aquecidos e com sistema de massagem, controlo por gestos, estribos em alumínio e serviços digitais "professional" são alguns dos requisitos.

Para retoma, João Nogueira quer deixar, por não menos de 40 mil euros, o Porsche que adquiriu logo após ter assumido a gestão da escola profissional, em 2013. Tem 147 mil quilómetros, diz o documento. O JN tentou contactar telefonicamente João Nogueira, mas não obteve resposta.

Recorde-se que os Municípios de Amares, Vila Verde e Terras de Bouro venderam 51% da participação na escola, em 2013, na sequência da Lei 50/2012, que obrigava a dissolução de empresas locais que não tivessem resultados líquidos durante três anos consecutivos.

A alienação do capital levou a uma investigação do Ministério Público, com três arguidos, que corre no Tribunal de Braga.

Outras Notícias