Poluição

Conduta pública no rio Vizela é um perigo para a saúde

Conduta pública no rio Vizela é um perigo para a saúde

As descargas junto da estação de tratamento de águas residuais apresentam índice de bactérias com valores muito acima do aceitável.

A conduta pública junto à estação de tratamento de águas residuais (ETAR) do rio Vizela despeja no curso de água um efluente "que prejudica gravemente a saúde", com valores muito acima do aceitável. As análises permitiram detetar várias bactérias e "estão quase todas numa percentagem acima daquilo que é o padrão normal de utilização", revelou Victor Hugo Salgado, presidente da Câmara de Vizela.

Em conferência de Imprensa, o autarca voltou a acusar a Águas do Norte de ser o principal agente poluidor do rio Vizela, e desta feita apresentou provas. De acordo com as análises de amostras recolhidas em agosto junto a uma conduta pública ao lado da ETAR, quase todos os valores estão acima dos limites máximos aceitáveis e há casos em que estes são ultrapassados em milhares de vezes. A nível microbiológico, por exemplo, o valor de "enterococos intestinais" detetado é de 780 mil nmp (número mais provável) por cada 100 mililitros, quando o aceitável é de 330 nmp/100 ml, o que significa que, só neste grupo de bactérias, os valores estão 2363 vezes acima do aceitável, que se traduzem num elevado risco para a saúde, podendo causar desconforto gastrointestinal (náuseas, vómitos e diarreias).

Ler mais na edição impressa ou versão e-paper