Bragança

Administração da Unidade Local de Saúde do Nordeste nomeada com seis meses de atraso

Administração da Unidade Local de Saúde do Nordeste nomeada com seis meses de atraso

A ARS Norte aponta para a primeira quinzena de Janeiro a nomeação da administração da Unidade Local de Saúde do Nordeste. A novidade acontece depois de um coro de protestos dos autarcas do distrito de Bragança, para fazer face às últimas notícias de perda de serviços e funcionários.

Tudo indica que António Marçoa deverá ser nomeado, na próxima semana, presidente da Unidade Local de Saúde (ULS) do Nordeste. Segundo apuramos, o actual vogal da administração do Centro Hospitalar do Nordeste (CHNE) terá sido o nome escolhido pelo Ministro da Saúde, Paulo Macedo, que não aceitou nenhum dos que tinham sido propostos.

Recorde-se que em cima da mesa estava a indicação de Guedes Marques, antigo administrador do hospital de Mirandela, que tinha sido indicado pela Distrital do PSD. Aliás, a conotação política terá sido um dos entraves, numa altura em que o Ministro estava debaixo de fogo devido às nomeações para outras unidades de saúde. Por terra ficou também o nome de Carlos Cadavez, preferido pela ala brigantina da distrital laranja.

PUB

António Marçoa é gestor, é uma pessoa da casa, pelo que conhece os dossiers e a sua nomeação não implica grandes alterações. Fora da ULS estará, assim, Henrique Capelas.

Desta forma fica finalmente resolvido o vazio directivo, já que a ULS foi criada em Julho e ainda não conhece administração. A própria Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte espera ver o processo fechado até ao final da primeira quinzena de Janeiro.

O conselho de administração terá um presidente e quatro vogais, sendo que dois deles terão de ser médicos, para gerir a direcção clínica dos cuidados de saúde primários e dos cuidados hospitalares, e um enfermeiro, que vai assegurar a direcção de enfermagem, podendo ser coadjuvados pelo máximo de três adjuntos cada. O mandato dos membros da administração terá a duração de três anos.

Líder laranja revoltado com a escolha

Quem está contra esta possível nomeação é o presidente da distrital do PSD de Bragança. José Silvano considera que se trata de uma solução de continuidade. "Estou frontalmente contra e não serei solidário com nenhuma das decisões tomadas. Esta solução de saúde no distrito está esgotada e deu o resultado que deu e que toda a gente contesta. É um autentico pântano" afirma o autarca de Mirandela.

Silvano tece ainda duras críticas ao Governo sustentado pelo seu partido em todo este processo. "É uma vergonha o que se tem passado, porque não se percebe como é que deste Julho ainda não foi nomeada a nova direcção com a consequente degradação total que a saúde está a ter no distrito desde não pagamento de salários a despedimentos de trabalhadores" afirma.

Perante este cenário, José Silvano diz ter tentado contribuir para melhorar a gestão da saúde na região, ao indicar o nome de Guedes Marques, antigo administrador do Hospital de Mirandela. "Tentei por todos os meios indicar pessoas que tinham perfil para poder endireitar a saúde no distrito" refere.

O presidente da distrital do PSD ainda espera que o Ministro da Saúde seja sensível a estes argumentos e que não aceite a indicação do vice-presidente do Centro Hospitalar do Nordeste para liderar a nova ULS do Nordeste.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG