Bragança

Autocarro leva ciência espacial a sete cidades do Interior

Autocarro leva ciência espacial a sete cidades do Interior

Começou esta segunda-feira em Bragança o périplo do Spatiobus, um veículo itinerante equipado para realizar ações educativas centradas em aplicações e tecnologias espaciais, destinado a sensibilizar os alunos do ensino básico e secundário para estas questões, que vai passar por sete cidades do Interior.

Trata-se de uma iniciativa da Agência Espacial Portuguesa e o Centre National d'Études Spatiales (CNES), a agência espacial francesa. "É uma parceria para a realização de atividades de educação para o espaço. As crianças têm atividades lúdicas que são uma introdução à tecnologia espacial e à Física, que eles não vão esquecer nunca mais", explicou Ana Noronha, diretora executiva do Ciência Viva.

Além das explicações sobre o funcionamento de um foguetão, as crianças têm oportunidade de construir foguetões em papel e de simular o seu lançamento no espaço através de um dispositivo mecânico que lhe permitiu atingir vários pés de altitude. "É um projeto que vai passar em várias cidades do Interior para proporcionar a alunos fazer atividades relacionadas com o espaço. Constroem um foguetão em papel e fazem o seu lançamento. É uma coisa extraordinária. Dentro do autocarro fazem atividades relacionadas com um pequeno satélite e como este funciona. Bem como lhes é explicado como funcionam os satélites de observação da terra, para comunicações, etc.", referiu Marta Gonçalves, responsável pelos projetos de Educação da Agência Espacial Portuguesa.

PUB

O autocarro propriedade da associação francesa Planète Sciences desde há vários anos que percorre as estradas francesas, e que está envolvido em projetos de apoio a operações escolares, participa pela primeira vez em atividades fora de França. A viagem acontece no âmbito da Temporada Cruzada Portugal-França.

Além de Bragança o Spatiobus vai passar por Moimenta da Beira, Constância, Ponte de Sor, Estremoz, Lousal e Tavira. A viagem dura três semanas e os monitores do Spatiobus serão auxiliados por monitores dos centros Ciência Viva ou por professores EspAciais, um conjunto de professores com forte ligação às temáticas do espaço através da Ciência Viva.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG