Bragança

Café Restaurador vendeu raspadinha de 27 mil euros

Café Restaurador vendeu raspadinha de 27 mil euros

Foi no café Restaurador, em Bragança, que foi vendida uma raspadinha Super Pé de Meia, no valor de 27 mil euros, repartidos em 750 mensais durante três anos.

José Silva, o proprietário do estabelecimento, não escondia a satisfação. "Ainda mais que se trata de um cliente habitual, que vem todos os dias e que não estando mal na vida agora pode ficar melhor", explicou.

Depois desta raspadinha bem recheada, já foi vendida uma outra, com um prémio de 300 euros. "É mais baixo, mas já não foi mau. Ganhar é sempre bom. As pessoas jogam muito na raspadinha porque logo na hora sabem se ganham ou perdem, não precisam de esperar", contou José Silva, que admite que depois de se saber desta maré de sorte que ronda o Restaurador há mais gente a comprar raspadinhas. "Jogam mais um pouco.

Notou-se a subida, porque os prémios motivam muito as pessoas que ficam com maior ânimo para jogar. Entusiasmam-se e tentam a sorte". Mas uma coisa é certa, salienta, o comerciante "só sai a quem joga, por isso é preciso ir tentando".

Este foi o maior prémio em raspadinhas vendido no Café Restaurador, mas nos 25 anos em que são agência de jogos já mais gente ali teve sorte. "Já saiu o primeiro prémio do Totoloto, na altura foram mais de 114 mil contos, vários segundos prémios. Temos dado até bastantes e muitos nem saberemos porque as pessoas nem sempre nos dizem que ganham", acrescentou comerciante, que não esconde que é gratificante dar prémios. "Ajuda a fazer publicidade à casa e alguém melhora a sua situação", garante.