Coronavírus

Duas alunas do Politécnico de Bragança foram à China e vão ficar em quarentena

Duas alunas do Politécnico de Bragança foram à China e vão ficar em quarentena

Duas alunas de nacionalidade chinesa do Instituto Politécnico de Bragança, que foram de férias ao seu país e regressam na próxima terça-feira, vão ficar em isolamento social, durante 14 dias, como medida preventiva por causa do coronavírus, apesar de não apresentarem qualquer sintoma de infeção.

A permanência em isolamento foi-lhes proposta pelo Instituto Politécnico de Bragança (IPB), que está a acautelar as recomendações das autoridades de saúde. "As alunas não têm quaisquer sintomas, nem estiveram em contacto com pessoas infectadas, que se saiba. Elas não estiveram em Wuhan (a província onde o vírus foi sinalizado pela primeira vez), mas estiveram na China, onde foram de férias. As autoridades de saúde recomendam que no seu regresso a Bragança, fiquem em isolamento", explicou o presidente do Politécnico, Orlando Rodrigues.

As duas jovens, com cerca de 20 anos, alunas do 1.º ano, foram celebrar o Ano Novo Chinês com a família durante a pausa pedagógica do primeiro semestre. "Aceitaram bem o [isolamento] que lhes foi proposto", acrescentou Orlando Rodrigues.

As estudantes, que partilhavam um apartamento com outras duas alunas, vão passar a quarentena num espaço providenciado pelo IPB, que está a ser preparado para o efeito. Está tudo a ser ultimado para assegurar a alimentação e os cuidados médicos das alunas. O IPB já reuniu com a Delegação de Saúde de Bragança para avaliar os preparativos, no caso de surgimento de algum sintoma, haver um protocolo a seguir.

As jovens devem chegar a Bragança na próxima semana, num voo que fará escala em Madrid (Espanha).

No IPB estudam entre 10 a 12 estudantes chineses, mas apenas estas duas alunas foram de férias ao seu país. No entanto, havia vários jovens de nacionalidade chinesa que tinham previsto vir estudar para Bragança no segundo semestre, todavia cancelaram essa intenção por causa do surto do coronavírus. "Já não vêm. Eram alunos em mobilidade que vinham fazer o segundo semestre letivo ao IPB, porém já não vêm", afirmou Orlando Rodrigues.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG