O Jogo ao Vivo

Bragança

Fecho de fronteiras agrada aos autarcas transmontanos

Fecho de fronteiras agrada aos autarcas transmontanos

O presidente da Comissão Distrital de Proteção Civil de Bragança, Francisco Guimarães, congratula-se com a decisão do governo de encerrar as fronteiras terrestres com Espanha a partir das 23 horas desta segunda-feira, mantendo-se as entradas/saídas em nove pontos do território nacional, nomeadamente Quintanilha, no concelho de Bragança.

Apenas será autorizada a circulação de veículos de mercadorias, de cidadãos nacionais ou de residentes em Portugal, tal como residentes em Espanha no sentido contrário, pessoal diplomático, e para acesso a cuidados de saúde.

No distrito de Bragança, além de Quintanilha há mais cerca de uma dezena de locais de passagem que permitem o acesso entre Portugal e Espanha que, segundo Francisco Guimarães, "no caso das que têm fronteira com barragem, a GNR pediu-nos que fossem fechadas, pelo menos Miranda do Douro e Mogadouro, mas eu ainda vou tentar articular com os outros autarcas no sentido de os outros acessos serem fechados, sem possibilidade de trânsito".

No distrito há vários concelhos que dispõem de acessos a Espanha, nomeadamente Bragança, Freixo de Espada à Cinta, Miranda do Douro, Mogadouro e Vinhais. O presidente da Câmara de Bragança, Hernâni Dias, admitiu que ainda não sabe o que vai acontecer com os outros locais de entrada no concelho a partir de Espanha. "Temos várias, desde Rio de Onor, Fontes Transbaceiro, Petisqueira, entre outras. Há um conjunto de pontos de acesso que não sei como vão ser controlados e que nos preocupam e não sei como será a fiscalização. Não temos indicações oficiais", referiu o autarca.

A Comissão Distrital de Proteção Civil havia reunido no passado sábado e no final da reunião foi emitido um comunicado onde pediam o encerramento das fronteiras. "Esperamos que ainda vá a tempo. Estávamos muito preocupados porque o coronavírus está a proliferar muito rapidamente e Espanha é o segundo país da Europa com mais casos. Todos os concelhos estão aflitos, muito mais aqueles que têm fronteiras com Espanha. Os municípios tem estado a fechar os equipamentos e, inclusivamente, a cancelar eventos para minimizar a propagação do vírus, não fazia sentido ter as fronteiras abertas, pois no fim de semana muitos espanhóis passaram para o nosso território", afirmou Francisco Guimarães.

O presidente da Comunidade Intermunicipal Terras de Trás-os-Montes (CIM), Artur Nunes, também autarca de Miranda do Douro, confirmou que os acessos entre Portugal e Espanha de Miranda do Douro, Mogadouro e Vimioso "vão ser encerrados esta tarde, uma medida que só peca por tardia", frisou.

No caso de Miranda do Douro, diariamente ambulâncias de transporte de doentes deste concelho viajam para os hospitais distritais ou centrais de Bragança, Vila Real ou Porto pela estrada espanhola, N122, via Alcañices (Espanha), mas durante a vigência desta determinação do Ministério da Administração Interna "passarão a viajar pelas vias portuguesas, nomeadamente por Vimioso", indicou Artur Nunes.

Outras Notícias