Iniciativa

GNR de Bragança convidou idosos para almoço de Natal

GNR de Bragança convidou idosos para almoço de Natal

Vários idosos das aldeias mais isoladas do distrito de Bragança deram tréguas à solidão em suas casas e participaram num convívio de Natal com os militares da GNR, que os receberam com presentes comprados pelos próprios guardas.

A GNR convidou 24 idosos "dos mais vulneráveis e isolados, entre os 71 e os 105 anos, para participar e vieram 13, pois alguns já tem dificuldade de mobilidade", explicou Carlos Felizardo, comandante territorial da GNR de Bragança. A iniciativa, designada "Árvore de Natal solidária", visou "dar um miminho aos mais idosos e proporcionar-lhes um dia diferente", acrescentou.

Para algumas dessas pessoas, que vivem sozinhas e vão passar o Natal sem companhia, os militares da GNR que participam no programa dos Censos Sénior são das poucas visitas que recebem em suas casas.

Em Portugal, existem 41 mil idosos sinalizados por viverem em situação de isolamento. Em Bragança, são 3800, dos quais pelo menos 2200 recebem visitas regulares dos militares da GNR. "Convidamos os idosos para almoçar porque é uma pequena amostra do que nós fazemos. É para nós muito gratificante e uma sensação indescritível por ver a alegria deles aqui ao pé de nós", afirmou Carlos Felizardo.

Os idosos ficaram encantados com a possibilidade deste convívio, que contou com a participação dos Caretos de Podence e dos Gaiteiros da Lombada.

Manuel António, de 84 anos, residente em Cabeça de Igreja, no concelho de Vinhais, vai passar o Natal sozinho e confessou que estava estava tão contente por estar de visita à GNR que até perdeu o apetite. "Estou muito satisfeito. É um grande prazer estar aqui na companhia destas pessoas. Eles (GNR), quando vão a minha casa, conversam muito comigo, até me vão buscar a lenha para casa", contou Manuel António.

Sem palavras para expressar a alegria e a gratidão ficou Maria Araújo, 80 anos, residente em Lagoa, no concelho de Macedo de Cavaleiros, mas lá foi dizendo qualquer coisa: "Fiquei maravilhada com a equipa da GNR que vai à minha aldeia. Um destes dias fui à reunião e fiquei tão contente que andei dois ou três dias e parece que nada me atormentava. São um apoio para nós, velhotes. Para nós, velhos, quando alguém sorri para nós já é uma riqueza".

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG