Porte de arma

Homem notificado 33 vezes para apresentar documento à PSP

Homem notificado 33 vezes para apresentar documento à PSP

Um homem residente em Bragança foi notificado 33 vezes pela Direção Nacional da Polícia de Segurança Pública para apresentar um atestado médico para efeitos de renovação da licença de uso e porte de arma.

O cidadão, que prefere manter o anonimato por ter pertencido a uma força de segurança, mas que se identificou ao "Jornal de Notícias", ficou espantado quando abriu a caixa do correio e tinha 12 envelopes, todos do mesmo remetente. "Até fiquei assustado quando vi a caixa do correio cheia de cartas registadas. Pensei, o que terei feito? Até fiquei sem sangue. Depois verifiquei que eram todas relacionadas com a mesma coisa", contou.

Dois dias depois recebeu mais 15 cartas e numa outra altura mais seis, quando até já tinha entregue o atestado médico que lhe era solicitado. "A mim bastava-me uma carta, não precisava de tantas. Não faço ideia do que se passou para acontecer esta situação. Deve haver algum sítio onde ficou o registo de expedição, mas não repararam que o destinatário era sempre o mesmo", acrescentou o cidadão indignado.

Após os 70 anos, os proprietários de armas de fogo são obrigados a apresentar um atestado médico de dois em dois anos para confirmar que não sofrem de perturbações psíquicas ou mentais de modo a poderem manter a licença de uso e porte de arma.

O "Jornal de Notícias" pediu esclarecimentos à PSP sobre o caso, mas até ao momento ainda não obtivemos resposta.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG