Local

Dívida controlada de Bragança torna o município sustentável

Dívida controlada de Bragança torna o município sustentável

A grande capacidade de investimento do município de Bragança torna o município "sustentável", conclui o Relatório da Sustentabilidade, apresentado esta quinta-feira.

"Há coisas boas. É um município com uma capacidade grande de investimento, porque não tem dívidas. Está sustentável", explicou Carlos Medeiros, o responsável pela equipa que elaborou o relatório, a pedido da Câmara de Bragança.

O objetivo da Autarquia era fazer o diagnóstico do estado do concelho, permitir mudar procedimentos menos corretos e estabelecer objetivos para o futuro, nomeadamente ao nível da prevenção das alterações climáticas.

Carlos Medeiros disse que há uma aposta clara na qualidade ambiental, exemplificando o uso de carros elétricos e a instalação de postos para carregamento destas viaturas. Ainda assim, o responsável recomenda a poupança de energia, através da instalação de mais painéis solares ou revestimentos especiais nos edifícios da Câmara. "Não é vulgar haver municípios tão empenhados na melhoria do ambiente", afirmou, indicando que o primeiro aspeto positivo "foi uma abertura total e de transparência", nomeadamente a disponibilidade demonstrada pelos funcionários camarários no acesso à informação.

A capacidade de internacionalização do Instituto Politécnico de Bragança, que é uma das instituições do país mais multiculturais, uma vez que cerca de dois mil alunos são estrangeiros, foi destacada por Carlos Medeiros, que indicou como aspeto negativo "o afastamento entre os estudantes e a cidade".

Por isso, defende que é necessário "metê-los [aos alunos] na malha dos consumidores da cultura do concelho e dos espaços da cidade, para criar mais multiculturalismo". O presidente da Câmara, Hernâni Dias, defende que o multiculturalismo é recente e que "as dinâmicas não se alteram de um dia para o outro, pois é preciso trabalhar e fixar pessoas no território".