CIM

Músicos e empresários revoltados com proibição de festas no Nordeste Transmontano

Músicos e empresários revoltados com proibição de festas no Nordeste Transmontano

A proibição de realizar festividades e romarias populares com público até 30 de setembro nos nove municípios da Comunidade Intermunicipal das Terras de Trás-os-Montes (CIM), conhecida esta quarta-feira, está a gerar uma onda de protesto por parte do setor ligado aos espetáculos na região.

Paulo Fernandes, professor de música, líder de um grupo musical e empresário, lamenta a decisão da CIM e garante que, se fosse concertada uma estratégia conjunta de segurança entre as várias entidades e organizações do eventos, podiam realizar-se as festas e romarias, pelo menos, nos meses de agosto e setembro "com segurança".

O setor tem sido muito penalizado devido às medidas restritivas da covid-19 e já em 2020 não houve festividades nos municípios da CIM. "Nas outras zonas do país, as câmaras e as juntas de freguesia têm tentado promover eventos seguros, mas aqui limitam-se a proibir, a cortar-nos as pernas e a exterminar o nosso setor", afirmou Paulo Fernandes, sublinhando que as "pessoas com mais de 60 anos já estão vacinadas e até agosto serão vacinadas as de outras faixas etárias.

"Utilizando máscaras, mantendo o distanciamento social e cumprindo as regras, temos convicção de que as festas seriam seguras e até podia decidir-se pela não venda de bebidas alcoólicas", acrescentou o empresário, confessando que o setor se sente "discriminado".

"É uma medida que não afeta só os músicos, mas também a restauração e até os produtores de gado que vendiam carne para as tascas e restaurantes das festas e outras empresas associadas perdem rendimento", lamentou Paulo Fernandes, que pede para que a CIM reconsidere e lhes permita "trabalhar dois meses em 12". "Só eu tenho uma equipa com 10 pessoas paradas, agora façam-se as contas aos outros grupos".

A medida afeta os municípios de Alfândega da Fé, Bragança, Macedo de Cavaleiros, Miranda do Douro, Mirandela, Mogadouro, Vila Flor, Vimioso e Vinhais.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG