Covid-19

Proteção Civil de Bragança diz que números oficiais estão desfasados da realidade

Proteção Civil de Bragança diz que números oficiais estão desfasados da realidade

A Comissão Distrital de Proteção Civil de Bragança concluiu esta quarta-feira que os números de casos de Covid-19 relativos a esta região que estão a ser divulgados pela Direção Geral da Saúde estão desfasados da realidade.

Este organismo, que junta várias entidades do distrito de Bragança, reuniu-se hoje para análise da evolução da doença e medidas no distrito de Bragança e decidiu solicitar à ministra da Saúde, Marta Temido, que as entidades competentes passem a "disponibilizar a informação diária por concelho do distrito de Bragança".

Isto por, segundo alega a Comissão Distrital, "a informação disponibilizada no relatório de situação pela Direção Geral da Saúde, quer no dia de ontem quer no dia de hoje, se encontra desfasada no tempo, não sendo por isso real e exata".

A Comissão continua preocupada com as entradas nas fronteiras da região e decidiu reforçar o apelo ao ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, para "a reavaliação imediata do processo do processo de decisão face à mobilidade de emigrantes e seu controlo e confinamento por quarentena".

Pede a mesma medida para cidadãos de outras zonas de Portugal que chegam ao distrito de Bragança.

A Comissão decidiu ainda criar uma bolsa de voluntários a que podem aderir todos os cidadãos que queiram ajudar a colmatar a falta de pessoal nas instituições de solidariedade social, atendendo ao facto de começarem a surgir casos de quarentena em trabalhadores das IPSS.

Em Portugal, há 43 mortes e 2995 infeções confirmadas, segundo o balanço feito esta quarta-feira pela Direção-Geral da Saúde, que regista 633 novos casos em relação a terça-feira (+26,8%).

Dos infetados, 276 estão internados, 61 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 22 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 2 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 2 de abril.

Além disso, o Governo declarou no dia 17 o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG