Inclusão

Sites municipais de Bragança com Língua Gestual Portuguesa

Sites municipais de Bragança com Língua Gestual Portuguesa

O Município de Bragança investiu na aquisição de uma ferramenta que facilita a leitura dos conteúdos dos sites municipais, através de um Avatar de Língua Gestual Portuguesa.

O projeto VirtualSign, que representa um investimento na ordem dos seis mil euros, visa facilitar a comunicação e interação com o Município por parte das pessoas com dificuldades de audição.

Descrita como uma ferramenta moderna e inclusiva permite "eliminar algumas barreiras linguísticas e pretende criar maior proximidade com a comunidade surda. A inclusão social é uma das prioridades do Município de Bragança e este é, claramente, um pequeno, mas gigante passo, nesse sentido", explicou o presidente da Câmara Municipal de Bragança, Hernâni Dias.

O seu funcionamento é simples. Através de um "assistente virtual" de Língua Gestual Portuguesa, em cada página está presente um ícone do lado direito que, após clicar, faz surgir o Avatar. De seguida, basta o utilizador selecionar o texto pretendido e clicar na seta, sendo este traduzido automaticamente.

Também em curso está o projeto "Cultura para todos", que representa um investimento superior a 365 mil euros, cofinanciados por Fundos Comunitários, destinado a suprimir ou minimizar obstáculos no acesso aos espaços culturais da cidade de Bragança, sob a tutela do município.

A partir do próximo verão os vídeos produzidos pela Câmara serão gravados com legendagem para surdos, permitindo que todos os cidadãos, sem exceção, tenham acesso a este tipo de informação. A publicação Bragança Acontece, que destaca os principais projetos e iniciativas de cada semestre, já é editada em linguagem braille.

Os novos autocarros dispõem de uma rampa de acesso para cadeira de rodas e também têm um sistema sonoro para alertar os invisuais para as paragens.

PUB

Na rua, os passeios foram requalificados, tendo sido colocados mosaicos táteis e direcionais para os invisuais e foram retirados os obstáculos desnecessários.

As passadeiras para peões foram intervencionadas e rampeadas, para que invisuais e pessoas com mobilidade condicionada possam circular com maior facilidade. Os semáforos foram dotados com um sistema de contadores numéricos para melhor perceção pelas pessoas com dificuldades auditivas. No que toca à comunicação nos equipamentos e interfaces, a informação está adaptada para daltónicos, invisuais e surdos, bem como para pessoas com mobilidade reduzida.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG