Protesto

Trabalhadores da Faurécia em greve por aumento de 90 euros no salário

Trabalhadores da Faurécia em greve por aumento de 90 euros no salário

A luta por um aumento extraordinário de 90 euros nos salários está na origem da greve e do protesto dos trabalhadores da Faurécia - Sistemas de Escape Portugal, SA, que esta manhã de quinta-feira estão concentrados em frente à fábrica de Bragança.

Segundo os dados SITE-Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Norte, a adesão à greve foi de 65% a 70% no turno da noite e durante esta manhã está em 65%.

A fábrica tem atualmente cerca de 450 trabalhadores. "Amanhã, sexta-feira, temos conhecimento que o impacto será maior. Temos noção que dois dias de greve saem caro aos trabalhadores, mas queremos passar uma mensagem de firmeza e de determinação a quem gere os milhões", indicou Rui Pereira delegado sindical.

PUB

A revindicação pelo aumento dos ordenados já tinha motivado outro protesto em julho. "Estamos a reivindicar o mesmo que esteve na base da greve de 7 de julho, ou seja, o aumento real e extraordinário do salário em 90 euros", explicou Rui Pereira.

A subida da inflação tem contribuído para o aumento generalizado dos preços dos bens alimentares, da energia e de outros produtos o que se traduz "num aumento das dificuldades dos trabalhadores, muitos dos quais recebem o salário mínimo", acrescentou o sindicalista sublinhando que "com a conjuntura atual é difícil chegar ao fim do mês".

Após a greve de julho, o SITE reuniu-se várias vezes com a direção da Faurécia, porém não foi possível chegar a acordo sobre o aumento extraordinário dos salários. "A resposta foi sempre um redondo não, alegando que são políticas do grupo e da multinacional e que cá em Portugal se pautam pelo salário mínimo", afirmou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG