Premium

Barco e comboio no Vale do Tua só para o ano

Barco e comboio no Vale do Tua só para o ano

Obras na via ainda não começaram. Se não estiverem feitas dentro de um ano, Mário Ferreira sai do projeto.

O arranque da mobilidade turística no vale do Tua estava anunciado para agosto deste ano, mas é para esquecer. Nem o comboio vai apitar na linha entre Mirandela e Brunheda, nem o barco rabelo vai levantar amarras do cais desta aldeia de Carrazeda de Ansiães para fazer a ligação à barragem, junto à foz do rio. As obras de melhoramento da via-férrea ainda não começaram e Mário Ferreira, líder da empresa Mystic Tua, só espera mais um ano.

O dia 8 de fevereiro de 2019 foi rotulado como histórico. Depois de mais de três anos de avanços e recuos, eram assinados, em Vila Flor, os contratos das obras que falta fazer na via para pôr o comboio a andar. Só que, poucos dias depois, surgiram contrariedades relacionadas com a responsabilidade da execução dos trabalhos, que, está já decidido, vai ser assumida pela Agência de Desenvolvimento do Vale do Tua, liderada pelo autarca de Alijó, José Paredes.