Macedo de Cavaleiros

Caretos querem que Podence seja a aldeia mais colorida de Portugal

Caretos querem que Podence seja a aldeia mais colorida de Portugal

Um ano depois de os Caretos de Podence terem visto o Carnaval de Podence classificado como Património Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO, esta aldeia do concelho de Macedo de Cavaleiros é, provavelmente, uma das mais coloridas de Portugal.

Só este sábado, para assinalar o primeiro aniversário do selo da UNESCO, foram dados a conhecer 12 murais de Arte Urbana, da autoria de Ricardo Dobrões, em paredes da localidade, e ainda 12 máscaras tradicionais que eternizarão aquele dia 12 de dezembro de 2019, quando se fez história e a comitiva portuguesa festejou em Bogotá (Colômbia) a distinção mundial. "Queremos que Podence seja uma aldeia visitada todo o ano e não só no Carnaval. Vamos continuar a fazer murais para dar vida à aldeia que tem muito potencial em termos de património e também está à beira das praias do Azibo", referiu António Carneiro, presidente da Associação dos Caretos de Podence, dando conta que "todos os habitantes querem uma pintura dos caretos nas paredes de casa". "Não estávamos à espera e não podemos concretizar tudo", acrescentou.

Mesmo em situação pandémica, os Caretos de Podence não quiseram deixar passar esta data tão significativa e, de forma simbólica, o aniversário foi assinalado: cantaram-se os parabéns, comeu-se bolo, bebeu-se espumante e os caretos andaram pela rua cumprindo as normas impostas pela Direção-Geral da Saúde (e desta vez não chocalharam ninguém). "É a cerimónia possível. Há um ano estávamos a celebrar o culminar de tanto esforço e tanto trabalho. Um trabalho de décadas. Esta tradição estava perdida no tempo. Foi preciso muito esforço e muita dedicação por parte de uma equipa fantástica que trabalhou para a preservação destes rituais", destacou o presidente da Câmara de Macedo de Cavaleiros, Benjamim Rodrigues.

O desejo de fazer uma grande festa foi substituída por uma cerimónia singela, com poucos convidados, mas em Podence permanece a esperança de que se possa realizar em grande o Entrudo Chocalheiro, no Carnaval. "Vamos acreditar que a pandemia o permita e que vacina traga algum alívio. Se as coisas não melhorarem temos um plano B e os caretos sairão à rua, mantendo o distanciamento e sem público", explicou António Carneiro, que este ano foi obrigado a cancelar ou adiar deslocações e presenças dos mascarados em todo o mundo.

Há grandes projetos para a localidade que poderão ser concretizados num futuro próximo, como a construção de um museu, a criação de uma oficina de máscaras e a realização de festivais no verão. "Terá que ser feito investimento a nível logístico por parte da Câmara, como por exemplo comprar o terreno onde está construído o terraço da Casa do Careto, que é de um privado", afirmou António Carneiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG