Transportes

Autarcas transmontanos reivindicam ligação ferroviária do Porto a Zamora

Autarcas transmontanos reivindicam ligação ferroviária do Porto a Zamora

Os nove presidentes de câmara da Comunidade Intermunicipal Terras de Trás-os-Montes (CIM-TTM) querem ver incluídos no Programa Nacional da Política de Ordenamento do Território (PNPOT) vários investimentos em projetos que consideram prioritários para estancar a desertificação do interior.

Um deles passa pela aposta na ferrovia. "É preciso rasgar todo o Norte através de uma rede ferroviária que nos ligue a Espanha e ao centro da Europa, neste caso estamos a falar de uma linha entre o Porto de Leixões e Zamora", avançou o presidente da CIM-TTM, Artur Nunes, esta quarta-feira, em Mirandela, após a reunião mensal do Conselho Intermunicipal.

"Não precisamos de um TGV, mas de uma ferrovia que aproxime territórios, cidades para atrair investimento e pessoas", acrescentou o autarca de Miranda do Douro que vai solicitar outros investimentos. "É necessário fazer as ligações rodoviárias que faltam ao nível do IP2 e do IC5 e a ligação a Espanha, não esquecendo um investimento aeroportuário, garantindo um caráter regional ao aeródromo de Bragança e melhorias nos aeródromos de Mirandela e Mogadouro", avançou.

São as propostas de alteração ao PNPOT, documento orientador das estratégias de desenvolvimento territorial, até 2030, elaborado pela CCDRN, que está em discussão pública, até esta sexta-feira.

A CIM-TTM integra os municípios de Alfândega da Fé, Bragança, Macedo de Cavaleiros, Miranda do Douro, Mirandela, Mogadouro, Vila Flor, Vimioso Vinhais.

ver mais vídeos