agricultura

Governo vai ajudar agricultores face aos prejuízos causados pelas chamas

Governo vai ajudar agricultores face aos prejuízos causados pelas chamas

O secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural garantiu, esta sexta-feira, em Torre de Moncorvo, que hoje mesmo vai começar a ser feito o levantamento dos prejuízos causados pelo grande incêndio que se estendeu por quatro concelhos do distrito de Bragança.

Francisco Gomes está em Torre de Moncorvo onde se reuniu com os autarcas dos concelhos afetados, com a Direção Regional de Agricultura do Norte e associações de agricultores. O governante adiantou que os "técnicos avançarão de imediato para o terreno para fazer um levantamento exaustivo" de modo a apoiar os agricultores e produtores.

"Caso a caso, os agricultores serão contactados para identificarem os prejuízos e permitirem a quantificação. Em princípio os relatórios estarão prontos no dia 22. Até lá já estamos a trabalhar na identificação dos mecanismos de apoio que existem para se fazer a dotação financeira e abertura de concursos se for necessário uma candidatura de acordo com o que é previsto" , explicou. Prevê-se que os prejuízos sejam de muitos milhões de euros porque a área ardida é muito extensa, atingindo os concelhos de Alfândega da Fé, Moncorvo, Mogadouro e Freixo de Espada à Cinta. Foram consumidos olivais, amendoais, propriedades agrícolas, currais, armazéns, floresta e morreram animais.

O dispositivo de mais de 800 operacionais mantém-se no terreno "por precaução", adiantou fonte do Comando de Operações, "para evitar eventuais reacendimentos". O incêndio está em fase de rescaldo desde quinta-feira, mas durante a noite houve um reacendimento junto à aldeia de Mós (Torre de Moncorvo). Na zona registam-se temperaturas muito elevadas e algum vento, motivos de preocupação para os bombeiros e populações.

Outros Artigos Recomendados