Bragança

Fogo em Moncorvo ainda ativo, aldeias fora de perigo após "horas de aflição"

Fogo em Moncorvo ainda ativo, aldeias fora de perigo após "horas de aflição"

O incêndio que deflagrou, esta quinta-feira ao início da tarde, na União de Freguesias da Cardanha e Adeganha, em Torre de Moncorvo, tem duas frentes ativas, numa zona de difícil acesso aos bombeiros, disse fonte da Proteção Civil.

"O incêndio tem duas frentes ativas e está a consumir mato numa zona de difícil acesso, com muitas rochas, o que dificulta a entrada de veículos de combate às chamas", afirmou o comandante operacional distrital de operações de socorro (CODIS) de Bragança, João Noel Afonso.

O comandante acrescentou que durante a noite o combate às chamas será feito de forma apeada, com recurso a material sapador. Para já não há populações em perigo, referiu.

João Noel Afonso indicou que às primeiras horas da manhã de sexta-feira são esperados meios aéreos para ajudar no combate.

"Ao início da tarde viveram-se momentos de aflição, tendo sido necessário reorganizar o dispositivo na aldeia de Estevais para evitar o pior", salientou o CODIS.

"As aldeias de Estevais, Cardanha e Adeganha já não correm perigo devido ao incêndio, apesar da aflição inicial que durou algumas horas. Não temos conhecimento de casas ardidas ou vítimas", indicou José Moreiras, presidente da União de Freguesias da Cardanha e Adeganha.

Segundo o autarca, o fogo à sua passagem queimou três ou quatro palheiros junto a Estevais e Cardanha.

O alerta para o incêndio que lavra na União de Freguesias de Adeganha e Cardanha foi dado às 14.41 horas.

Segundo a página na internet da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, às 23.20 horas estavam empenhados no combate às chamas 97 bombeiros apoiados por 43 viaturas e duas máquinas de rasto.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG