Saúde ambiental

PSD e CDS ponderam pedir situação de calamidade pública em Vinhais

PSD e CDS ponderam pedir situação de calamidade pública em Vinhais

PSD e CDS ponderam pedir situação de calamidade pública devido à progressão da vespa da galha do castanheiro em Vinhais, Bragança.

A grande progressão da vespa da galha do castanheiro no concelho de Vinhais, que já atingiu milhares de hectares de soutos, está a preocupar as comissões políticas do PSD e do CSD-PP daquele concelho, que já ponderam pedir a situação de calamidade pública.

As duas concelhias, que nas anteriores eleições autárquicas se candidataram com a "É tempo de mudar Vinhais", não se conformam em "assistir com passividade à evolução danosa" da vespa da galha do castanheiro no concelho e na região. Já solicitaram aos deputados na Assembleia da República, eleitos pelo distrito de Bragança, para "desencadear os mecanismos que permitam que sejam tomadas todas as medidas massivas e eficazes de combate a esta adversidade".

As concelhias reivindicam mais apoios para combater o problema e decidiram tomar posição, dando conta do que se passa ao presidente da República e ao ministro da Agricultura. "São missivas de sensibilização para a importância e urgente necessidade de apoio para combater esta praga, dada a dimensão incontrolada do problema e a importância estratégica e económica da produção de castanha para o concelho", divulgaram numa nota de imprensa.

O PSD e CDS verificaram "o estado calamitoso em que se encontram os soutos, um pouco por todo o concelho, fortemente afectados pela vespa da galha do castanheiro".

A castanha é uma das maiores produções agrícolas dos concelhos de Bragança e Vinhais, os maiores produtores do país, rendendo milhões de euros todos os anos.

Os municípios das áreas produtoras de castanha do Nordeste Transmontano têm investidos milhares de euros no combate à vespa da galha do castanheiro através da luta biológica, fazendo largadas de parasitoides (Torymus sinensis). Cada largada pode custar entre 170 a 180 euros. Só nos últimos dois anos, a câmara de Vinhais gastou cerca de 50 mil euros neste combate. No concelho de Vinhais, foram realizadas este ano 170 largadas em várias freguesias, face às 52 de 2018.

O presidente da Câmara de Bragança, Hernâni Dias, já mostrou disponibilidade para investir "o que for necessário" para travar a progressão da vespa.

O parasitoide é o único meio de combate a esta praga, mas as largadas são realizadas num tempo específico da maturação do castanheiro: iniciaram-se em abril e terminam no final de maio. "Perspectiva-se que continuem a ser feitas largadas nos próximos quatro ou cinco anos", admitiu o autarca de Vinhais, Luís Fernandes.

Foram realizadas largadas também em Bragança e Macedo de Cavaleiros. O projeto da luta biológica conta com a coparticipação da Comunidade Intermunicipal Terras de Trás-os-Montes e tem um montante financeiro de 12 mil euros.