Incêndio

Mil bombeiros no combate às chamas na Covilhã

JN/Agências

Chamas não dão tréguas na Covilhã

Foto Miguel Pereira Da Silva/lusa

Mais de mil operacionais combatiam às 00.30 horas desta quarta-feira o incêndio que deflagrou no concelho da Covilhã, o único incêndio ativo em Portugal continental que mobilizava um grande número de meios, segundo a Proteção Civil.

e acordo com a informação disponível às 00.30 horas horas no 'site' da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), o incêndio que começou na localidade de Garrocho (Covilhã) era combatido por 1.038 bombeiros, apoiados por 317 viaturas.

O incêndio deflagrou às 03:18 de sábado, na localidade de Garrocho, freguesia de Cantar-Galo e Vila do Carvalho, no concelho da Covilhã (Castelo Branco), e alastrou para Manteigas, no distrito da Guarda.

Um helicóptero ligeiro de combate a incêndios rurais sofreu na tarde de terça-feira um acidente durante as operações de combate ao incêndio da Covilhã, sem provocar vítimas mortais ou ferido, anunciou a Proteção Civil.

No mesmo fogo, três bombeiros e um sapador florestal sofreram na terça-feira ferimentos ligeiros durante o combate, disse o comandante Operacional Regional do Centro.

Na conferência de imprensa ao início da noite, o comandante Operacional Regional do Centro salientou que, neste momento, existe "uma situação muito grave" no concelho de Manteigas.

"A situação que mais nos preocupa é a frente de fogo no concelho de Manteigas. Há duas frentes ativas, uma no concelho da Covilhã e outra no concelho de Manteigas", sublinhou António Ribeiro, admitindo que espera "uma noite difícil" e de muito trabalho.

Os restantes quatro fogos ativos em Portugal continental mobilizavam, pelas 00:30, poucos operacionais.

Em ações de consolidação ou rescaldo encontravam-se 281 bombeiros, com 73 meios terrestres, num total de 18 ocorrências.

Relacionadas