Salvamento

Idoso encontrado no mato pela GNR horas depois de se ter despistado

Idoso encontrado no mato pela GNR horas depois de se ter despistado

A GNR localizou, na segunda-feira, um idoso, de 80 anos, que se havia despistado quando conduzia um quadriciclo num caminho florestal em Cortes do Meio, na Covilhã. Foi encontrado, em estado debilitado, a cerca de 100 metros do local do despiste.

O alerta de um familiar foi dado cerca das 19 horas, sendo que o idoso havia sido visto, pela última vez, cerca das 13 horas, a circular de quadriciclo em direção a uma zona de pinhal, não tendo regressado a casa, nem contactado a família.

A GNR envolveu nas buscas militares dos postos territoriais de Covilhã, Teixoso e Tortosendo, tendo localizado o veículo despistado num caminho florestal, nas proximidades da localidade.

O idoso foi encontrado em estado debilitado, pelas 23 horas, a aproximadamente 100 metros do local do despiste, numa zona de densa vegetação e de difícil acesso. No seguimento da ação foi acionada assistência médica para o local, tendo sido transportado para uma unidade hospitalar para monitorização do seu estado de saúde.

A ação contou com o reforço do Posto de Intervenção de Proteção e Socorro da Covilhã da Unidade de Emergência Proteção e Socorro (UEPS) e com o apoio dos Bombeiros da Covilhã.

A GNR sublinha que "o desaparecimento de idosos é um fenómeno para o qual a Guarda tem estado particularmente atenta, não só pelo esforço desenvolvido no sentido de permitir a localização dos desaparecidos, mas sobretudo pela prevenção deste tipo de ocorrências, alertando para a problemática".

"Os familiares devem procurar conhecer as rotinas dos idosos e ter informação sobre o local para onde estes pretendem ir quando saem de casa, para que, no caso da chegada tardar mais do que o previsto, possam por aí iniciar a sua procura", aconselha a GNR.

PUB

A Guarda sublinha a necessidade de os mais velhos se fazerem acompanhar de um telemóvel ligado, para que, em caso de necessidade, "possam contactar ou serem contactados pelos seus familiares e, em caso de desaparecimento, serem mais facilmente localizados através de localização celular".

Por último, a GNR refere que os idosos devem ter sempre na sua posse os contactos dos familiares, "para que, em caso de desorientação, outras pessoas possam entrar em contacto com os mesmos".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG