Exclusivo

Proença-a-Nova tem emprego e incentivos, só falta a mão de obra

Proença-a-Nova tem emprego e incentivos, só falta a mão de obra

"A necessidade de colaboradores é sinal da vitalidade do tecido empresarial", entende o município, que garante estar a fazer a sua parte ao criar condições para a fixação de pessoas.

Miguel Pereira, sócio-gerente da firma Fernando Miguel Lopes Pereira e Irmão, Lda., na área da caixilharia, construção civil e estruturas metálicas, em Proença-a-Nova, precisa de recrutar cinco pessoas. Dentro de alguns meses vai precisar de mais três, especializadas em design e engenharia.

O pedido está feito no Gabinete de Inserção Profissional do município, criado para dar resposta laboral a quem procura emprego, mas não aparece ninguém. "Temos perspetivas de crescimento. Se não pudermos recrutar, os trabalhadores ficam mais sobrecarregados ou, em última análise, teremos de recusar ou demorar mais tempo a concretizar o trabalho".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG