Coimbra

Ganhou 163 milhões com dez euros

Ganhou 163 milhões com dez euros

A freguesia de Eiras, à saída de Coimbra, viveu ontem um dia fora do normal. Foi lá que o mais recente euromilionário português registou o boletim que lhe permitiu ganhar 163,5 milhões de euros. É o segundo maior prémio de sempre a sair em Portugal.

Segundo o JN conseguiu apurar, a feliz contemplada é uma mulher, proprietária de um café à entrada do concelho de Penacova, que ontem esteve ausente da cidade.

Junto à Tabacaria Amarelinha, onde o boletim foi registado, o vencedor do prémio era o tema de conversa e todos se interrogavam sobre a sua identidade. Ao longo do dia, foram vários os curiosos a acorrer ao local, que esteve aberto das 8.30 até às 13 horas. "Deve ser alguém da zona, mas ninguém sabe. Espero que seja alguém que precise do dinheiro", comentava uma funcionária do salão de cabeleireiro vizinho da tabacaria.

César Silvestre é proprietário de um café ao lado da Amarelinha e confessa ter estranhado a azáfama que a zona viveu ontem de manhã. "Isto é uma zona industrial, é raro ter movimento ao sábado. De repente vi isto cheio de gente, muitos curiosos, jornalistas, não é habitual", conta. Quanto à identidade do novo euromilionário, desconhece quem possa ser. "Ao longo da semana deverá conhecer-se. Vai notar-se".

O boletim foi registado na Amarelinha na sexta-feira de manhã. O apostador pagou dez euros por cinco apostas automáticas da máquina, tendo, numa delas, acertado nos cinco números e duas estrelas do sorteio. Nunca a Tabacaria Amarelinha tinha tido um prémio muito alto lá registado, em oito anos de portas abertas.

Segundo maior de sempre

Os 163,5 milhões de euros que saíram em Coimbra na sexta-feira à noite são o segundo maior prémio de sempre do Euromilhões em Portugal. O maior foi ganho em outubro de 2014, por um apostador de Castelo Branco de quem, até hoje, não se conhece a identidade.

O ano de 2015 é mesmo o melhor de sempre para os apostadores portugueses em termos de primeiros prémios, tendo conseguido um total de 318 milhões de euros. Na sexta-feira houve ainda um terceiro prémio em Portugal, no valor de 118 mil euros.

Em onze anos de existência do concurso, o vencedor desta semana é o 58º apostador português a acertar no primeiro prémio. Do valor total, 20% - cerca de 32 milhões de euros - é entregue ao Estado. O vencedor tem agora 90 dias para reclamar o prémio.