JN Rede de Notícias

Investigadores de Coimbra exploram possível terapia inovadora para doença de Alzheimer

Investigadores de Coimbra exploram possível terapia inovadora para doença de Alzheimer

Uma equipa de investigadores da Universidade de Coimbra (UC) descobriu "um possível novo alvo terapêutico para a doença de Alzheimer", que poderá representar "um passo importante para o tratamento" da doença neurodegenerativa.

A investigação procurou "pequenas sequências genéticas com um papel regulador nas células" - microARNs -que fossem "possíveis alvos terapêuticos inovadores para a doença de Alzheimer, tendo filtrado o microARN-31 como alvo promissor para este tipo de estratégias", explica a instituição, em comunicado.

Desenvolvido por uma equipa de investigadores do Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNC) da UC, o estudo já foi publicado na revista científica Molecular Therapy - Nucleic Acids.

Atualmente sem terapias eficazes, a Alzheimer é "um dos maiores problemas de saúde mundial, tendo um grande impacto económico e social", reconhece a UC. A doença caracteriza-se pela progressiva degeneração e morte dos neurónios, especialmente na zona do hipocampo, a região do cérebro responsável pela formação e consolidação de memórias, sublinha a universidade, referindo que se acredita que "a perda de função dos neurónios da região estará na base da perda de memória observada na doença".

Leia mais em Diário As Beiras

Outras Notícias