Pandemia

Lar de Coimbra regista primeira vítima mortal por Covid-19

Lar de Coimbra regista primeira vítima mortal por Covid-19

Idosa foi a primeira de seis utentes a ser internada em hospital de Coimbra por suspeitas de coronavírus. Na mesma semana, tinha ido outras duas vezes às urgências hospitalares, mas foi mandada de volta para o lar, sem despistagem da doença.

Uma das utentes do lar de Almalaguês, em Coimbra, infetadas por coronavírus faleceu esta quarta-feira, vítima da Covid-19. Há pelo menos mais quatro utentes e uma funcionária do mesmo lar com teste positivo para coronavírus, além outras duas utentes internadas que ainda não conhecem o resultado dos seus testes.

A notícia do óbito de Maria Júlia Patrício, de 93 anos, foi comunicada à sua família nesta quarta-feira à noite, confirmou o JN junto de um neto da vítima. A mulher, natural da localidade Anaguéis, da freguesia de Almalaguês, tinha sido internada no Hospital dos Covões no último sábado, 21 de março.

A vítima sofria de outras patologias e, segundo a diretora técnica do Centro Paroquial de Bem Estar Social de Almalaguês, Elza Carvalho, também tinha sido transportada às urgências hospitalares nos dias 14 e 17 deste mês, com febre e dificuldades respiratórias, mas em ambas ocasiões foi mandada de volta para o lar, sem ser sujeita a nenhum teste de despistagem da Covid-19.

No último sábado, 21, Maria Júlia Patrício teve de ser novamente transportada ao hospital, tal como outra utente do mesmo lar, de 83 anos. Nesta ocasião, foram ambas sujeitas a testes de coronavírus que, no dia seguinte, deram resultado positivo.

Nuno Soares, neto da vítima mortal, anunciou, na sua página de Facebook, que a avô vai ser sepultada no cemitério de Almalaguês, sem velório nem a cerimónia fúnebre, devido às restrições impostas pela Direção Geral da Saúde. Por indicação da respetiva junta de freguesia, só vão poder participar no funeral os familiares mais próximos, acrescentou.

Vários dias à espera de testes

Desde domingo que a direção do lar de Almalaguês, a freguesia mais a sul do concelho de Coimbra, ficou a aguardar que as autoridades de saúde fossem à instituição testar os restantes utentes, três dezenas, e os funcionários, sensivelmente no mesmo número. Contudo, só nesta quarta-feira isso veio a suceder, sendo que nem todos foram testados, segundo informou a diretora técnica Elza Carvalho, que não quis comentar a lacuna.

Mas, antes disso, cinco funcionárias tinham arrepiado caminho e feito testes num laboratório privado. E seis outros utentes tinham sido transportados de urgência ao hospital. Ao fim da tarde desta quarta-feira, os testes a quatro utentes tinham resultado positivo para coronavírus, uma tinha resultado negativo e outras duas aguardavam, internadas, o veredicto. Das cinco funcionárias testadas, só uma deu positivo, tendo sido mandada para casa.

Uma das utentes com resultado positivo foi mandada do hospital de Coimbra para o lar, onde permanece isolada num quarto.

Nesta quinta-feira, deverão ser conhecidos os resultados dos outros utentes e funcionários do lar já sujeitos a teste.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG