Energia

Reitor da Universidade de Coimbra aponta à autonomia energética em 2024

Reitor da Universidade de Coimbra aponta à autonomia energética em 2024

O reitor da Universidade de Coimbra, Amílcar Falcão, prevê que a instituição seja totalmente autónoma do ponto de vista energético em 2024, fazendo face a aumentos que, aponta, têm sido na ordem dos 300%.

Amílcar Falcão salienta que, ainda antes da guerra na Ucrânia, a equipa reitoral estava a trabalhar num plano para alcançar a autonomia energética através da produção de energia a partir de fontes renováveis.

"Esse plano está em marcha e arrisco afirmar que algures em 2023, porque é um processo que não depende exclusivamente de nós, iremos multiplicar por seis a nossa produção atual para autoconsumo. Simultaneamente, está também já a ser preparada a segunda fase desse mesmo plano para que em 2024 a Universidade de Coimbra seja totalmente autónoma do ponto de vista energético", aponta.

PUB

No discurso de Abertura Solene das aulas da instituição, esta quarta-feira, Amílcar Falcão sustentou que "o aumento da fatura energética para as instituições de ensino superior é insustentável face aos constrangimentos orçamentais que têm afetado o setor ao longo da última década", esperando "que haja apoio governamental para poder fazer face a aumentos na ordem dos 300%".

Esta situação, prosseguiu o reitor, leva a que, para além das medidas que o Governo venha a adotar, a Universidade "procure soluções que, não comprometendo o bem-estar das pessoas e o normal funcionamento da instituição, nos permitam enfrentar o problema energético que temos em mãos".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG