O Jogo ao Vivo

Covid-19

Universidade de Coimbra cede equipamento informático a alunos carenciados

Universidade de Coimbra cede equipamento informático a alunos carenciados

A Universidade de Coimbra (UC) está a ceder equipamentos informáticos aos alunos carenciados que não os possuam, para não serem prejudicados com a suspensão das aulas presenciais face à pandemia da Covid-19, foi esta sexta-feira anunciado.

"Com o objetivo de que nenhum estudante seja prejudicado devido à suspensão das atividades letivas presenciais em vigor, a Universidade de Coimbra está a ceder equipamentos informáticos para acesso ao ensino à distância a todos os seus alunos que não os possuam e estejam comprovadamente numa situação de carência económica", anunciou hoje a UC, em nota de imprensa enviada à agência Lusa.

Segundo a nota, todos os estudantes bolseiros e beneficiários do Fundo de Apoio Social da Universidade de Coimbra que não disponham de meios para seguir o ensino à distância "devem manifestar a sua necessidade junto dos Serviços de Ação Social da Universidade de Coimbra".

"Após a aprovação do pedido (mediante prova da situação de carência), ser-lhe-ão cedidos gratuitamente os equipamentos em falta (computadores, 'tablets' ou pontos de acesso de banda larga móvel) pelo período em que se mantiver a suspensão das atividades letivas presenciais na UC", explica a instituição.

De acordo com a Universidade de Coimbra, até à data, já foram apoiados com esta medida cerca de 20 estudantes.

"Os estudantes não devem ver o seu percurso académico prejudicado pelo período que vivemos. Por isso, a UC tem feito tudo o que está ao seu alcance para que todos tenham acesso ao ensino à distância nas melhores condições possíveis, defendendo o primado da equidade entre todos, nomeadamente aos alunos em situações de comprovada carência económica. E assim continuaremos a proceder", refere o reitor da Universidade de Coimbra, Amílcar Falcão, citado na nota de imprensa.

A 09 de março, a Universidade de Coimbra anunciou a aplicação do seu plano de contingência, que envolveu designadamente a suspensão de aulas presenciais.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou cerca de 540 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 25 mil.

Em Portugal, registaram-se 76 mortes, mais 16 do que na véspera, e 4.268 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, que identificou 724 novos casos em relação a quinta-feira.

Outras Notícias