Figueira da Foz

Ponte dos Arcos está às escuras de noite  

Ponte dos Arcos está às escuras de noite  

Não foi pacífica a abertura ao trânsito, esta terça-feira, das duas novas vias da Ponte dos Arcos. Tudo porque "a falta de iluminação, sinalização informativa e de passagens para peões ameaça a segurança rodoviária", acusa a Câmara da Figueira da Foz.

Poucos minutos passavam da meia-noite de ontem quando as primeiras viaturas estrearam as duas novas faixas de rodagem da Ponte dos Arcos, na freguesia de S. Pedro, que liga as duas margens do rio Mondego, na Figueira da Foz, através da Estrada Nacional (EN) 109.

Mas à passagem das primeiras viaturas foi notória a inexistência de iluminação, bem como a falta de sinalização informativa "adequada". O vereador do Trânsito da autarquia figueirense, Lídio Lopes foi um dos automobilistas que reparou nas falhas e ontem, durante o dia, deu conhecimento da situação à dona da obra, a empresa Estradas de Portugal (EP).

"Contactei a empresa Estradas de Portugal manifestando a minha preocupação pelas condições de acessibilidade ao novo espaço que considero não são as melhores. No que respeita à segurança rodoviária, falta iluminação e informação suficientes para quem, durante a noite, sem saber, acede a um espaço novo que não está bem iluminado, não está bem informado da acessibilidade", disse, ao JN, Lídio Lopes.

A obra, da responsabilidade da empresa Estradas de Portugal (EP), visa o alargamento da ponte, das actuais duas para quatro faixas de rodagem, e deverá estar concluída no próximo mês de Novembro. A mesma é uma exigência antiga das entidades políticas locais pelo estrangulamento de trânsito que se verifica naquele local da EN 109.

A abertura das novas faixas dá "luz verde" para que a velhinha Ponte dos Arcos, inaugurada em 1942, seja demolida em breve, dando lugar a outras duas novas vias de rodagem.

Mas com o abate das vias actuais deixa de haver, durante as obras, uma passagem para os peões na actual ponte. Os cerca de 200 metros das novas vias não tem um espaço destinado aos peões. "Essa é outra preocupação que temos", disse, confrontado pelo JN, Lídio Lopes.

PUB

O vice-presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz deixa por isso um alerta. "Esta ponte provocou até hoje tantos problemas (incluindo a morte de dois pescadores) que gostaria que, até ao final da obra, não provocasse mais nenhum engulho, ou seja, que não houvesse por falta desta iluminação/informação por parte dos donos da obra nenhum acidente rodoviário", rematou Lídio Lopes.

Contactada pelo JN, fonte da empresa Estradas de Portugal garantiu que "estão a ser tomadas medidas para que, ainda durante esta semana, as falhas apontadas sejam resolvidas".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG