Incidente

Vítima de explosão em Penacova morreu uma semana depois

Vítima de explosão em Penacova morreu uma semana depois

O homem que tinha ficado gravemente ferido numa explosão ocorrida em casa da vítima, em Penacova, a 27 de agosto, morreu na segunda-feira no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra.

Francisco Seco da Costa, empresário de 48 anos, que detinha a concessão das piscinas municipais de Penacova, sofreu queimaduras em 90% do corpo e não resistiu aos ferimentos.

Tudo indica que a violenta explosão, que teve lugar num apartamento do terceiro andar de um prédio, no sítio de Penedo Raso, ao cimo da vila de Penacova, se deveu a uma fuga de gás, que é canalizado para as habitações a partir de botijas instaladas num pátio exterior, no piso térreo. O prédio faz parte de um bloco com 22 apartamentos, alguns dos quais sofreram danos.

O impacto da explosão também provocou a queda de fragmentos de parede e outros materiais, que danificaram vários automóveis estacionados à frente e atrás do prédio. E deu ainda origem a um incêndio, que alastrou e destruiu praticamente todo o apartamento da vítima mortal.

A explosão, que se deu por volta das 9.30 do dia 27 de agosto, deixou ainda ferida com gravidade a filha de Francisco, Micaela Costa, de 22 anos. A mulher da vítima mortal, Sílvia Barreto, enfermeira de 46 anos, ficou com ferimentos ligeiros.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG