acidente ferroviário

Sindicato diz que medidas de segurança atuais deveriam ter impedido embate de comboios

Sindicato diz que medidas de segurança atuais deveriam ter impedido embate de comboios

O Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial Itinerante disse esta terça-feira que os comboios atuais possuem mecanismos de segurança que deveriam ter impedido o acidente de segunda-feira à noite, em Granja do Ulmeiro, Soure.

Dois comboios colidiram e um deles descarrilou, a seguir à estação de Alfarelos, no concelho de Soure, Coimbra, provocando vários feridos ligeiros.

"Teoricamente, o acidente de ontem [segunda-feira] não podia ter acontecido, uma vez que as linhas e os comboios atuais possuem mecanismos de segurança que deviam ter impedido o acidente. Mas, como aconteceu, ficamos a aguardar o resultado do inquérito que a CP [Comboios de Portugal] e Refer [Rede Ferroviária Nacional] vão realizar", diz o sindicato em comunicado.

O Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial Itinerante, sindicato que na CP representa os revisores, trabalhadores de bilheteiras e as suas chefias mais diretas, lamenta ainda que aquela empresa não tenha providenciado transporte alternativo aos clientes dos serviços regionais.

"Enquanto não fica regularizada a circulação de comboios na zona do acidente, a CP, e bem, providenciou transporte alternativo para os clientes dos Intercidades e comboios Alfas. Não podemos deixar de lamentar que não teve a mesma atitude referente ao serviço regional, onde suprimiu todos os comboios entre Entroncamento e Coimbra, deixando estes clientes sem qualquer transporte", refere ainda a nota.

O sindicato diz também que os revisores dos comboios envolvidos no acidente "permitiram uma rápida resposta das autoridades envolvidas no socorro".