Manifestação

Meio milhar de apoiantes do Chega recebidos em Évora com "Grândola Vila Morena"

Meio milhar de apoiantes do Chega recebidos em Évora com "Grândola Vila Morena"

Cerca de 500 apoiantes do partido Chega manifestaram-se esta sexta-feira, na Praça do Giraldo, em Évora, contra o discurso antirracista, depois de uma marcha que teve início no Portas da Lagoa.

Enquanto entoavam o Hino, gritavam "Portugal" e "contra a corrupção, racismo é distração", apoiantes da "concentração pela Liberdade", cantaram "Grândola Vila Morena", de Zeca Afonso.

Aos seus apoiantes, André Ventura afirmou: "Évora também é nossa" e "há uns que andam a trabalhar para que outros não façam nada".

As duas manifestações estiveram separadas por uma barreira anti-motim e elementos da PSP.

Enquanto esperava por André Ventura, Sofia Seabra Dinis, "militante do Chega desde o início", explicava ao JN, que a escolha de Évora para a II convenção do Chega, tem como principal objetivo "cativar Évora". Sobre a manifestação ocorrer ao mesmo tempo que a "concentração pela Liberdade", a empresária esperava que "corresse bem".

Para Luís Filipe Graça, assessor do partido, o Chega "não pode estar apenas nas redes sociais. Mas também tem de estar na rua. Temos de chamar as pessoas para a política".

Sobre a concentração pela Liberdade, "não entendemos como é que as autoridades e em especial o presidente da Câmara Municipal de Évora, autorizou a manifestação para o mesmo dia".

Este "encontro" na praça terminou pouco depois das 21 horas, quando os últimos apoiantes do Chega deixaram o local e, do outro lado, os participantes pela "Liberdade" também acabaram por desmobilizar.

Outras Notícias