Albufeira

Mulher que fingiu cancro para angariar dinheiro vai ser avaliada

Mulher que fingiu cancro para angariar dinheiro vai ser avaliada

Daniela Costa, a mulher de 32 anos residente em Albufeira suspeita de ter fingido sofrer de cancro nos pulmões para obter donativos, vai ser avaliada num hospital de Lisboa.

A perícia médica a realizar segunda-feira pretende apurar se Daniela Costa sofre mesmo de síndrome de Münchhausen - um transtorno factício, em que os doentes fingem ou causam a si mesmo doenças ou traumas psicológicos - apurou o JN junto de fonte próxima da família.

Sábado, em Albufeira, a história continuava a dominar todas as conversas. As opiniões dividiam-se entre os que, pura e simplesmente, condenam Daniela Costa, por alegadamente ter simulado a doença e outros que acreditam que o seu comportamento foi fruto da doença psíquica. Há também cada vez mais gente a suspeitar que a mulher não terá agido sozinha e que alguém terá sido cúmplice e beneficiado com a alegada burla.

Adolescência problemática

"Quem a conhece há mais tempo diz que, a partir da adolescência, sempre foi uma pessoa problemática, que arranjou sempre problemas com os outros", disse ao JN um dos lesados, que solicitou o anonimato.

Segundo consta em Albufeira, o companheiro de Daniela Costa terá abandonado a casa onde viviam ainda antes do caso ter sido tornado público. A mulher está agora a viver sozinha, já que os três filhos (de 14, 8 e 7 anos) se encontram com os avós.

Entretanto, no grupo do Facebook, que conta com mais de 3500 membros, não param os testemunhos de pessoas que apoiaram a mulher ao longo dos últimos três anos. Muitos dizem que só agora percebem que havia alguma coisa "que não batia certo". Estes relatos garantem que Daniela Costa andava sempre de cabelo pintado e unhas de gel, práticas desaconselhadas a quem padece de doença oncológica.

PUB

Até aceitava alimentos

Ao longo de três anos, realizaram-se espetáculos de solidariedade, festas e peditórios, alegadamente para ajudar a pagar os tratamentos. "Ela era muito convincente, até alimentos aceitava", garante outro lesado, que também pediu o anonimato.

A solidariedade chegou a Inglaterra, onde foi criada uma campanha de angariação de fundos. Na página https://www.justgiving.com. há já posts de portugueses a desmascarar a situação.

O JN tentou sábado, uma vez mais, contactar Daniela Costa, mas o telemóvel manteve-se desligado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG