Faro

Banhos suspensos em pavilhão municipal após presença de legionella

Banhos suspensos em pavilhão municipal após presença de legionella

A presença da bactéria legionella levou à suspensão dos banhos no Pavilhão Municipal da Penha, em Faro. A autarquia garante que não há perigo para a saúde pública e mantém o espaço aberto.

A situação foi detetada em outubro. Análises de rotina identificaram a bactéria num dos circuitos de água fria dos balneários.

O vice-presidente da Câmara Municipal de Faro, Paulo Santos, confirma a presença da legionella e garante que "nunca esteve em causa a saúde pública nem foram reportados casos" de infeção pela bactéria. "As análises detetaram um valor um pouco acima do limite permitido. De imediato, contactámos a Autoridade de Saúde Pública e suspendemos os banhos, por precaução".

Ao mesmo tempo, "demos início ao processo de contratação de uma empresa que irá instalar um sistema que permite fazer o tratamento através da injeção de cloro na canalização". Segundo o vice-presidente, equipamento existente "não está preparado para receber esse tratamento". Os trabalhos deverão arrancar nos próximos dias, prevendo-se que a situação esteja regularizada "dentro de um mês". Depois, serão feitas novas análises.

As atividades no pavilhão mantém-se para os cerca de 500 utilizadores diários. No pavilhão e nos balneários não estão afixados avisos sobre as razões da proibição. O JN sabe que a autarquia quis "evitar alarmismos". A situação só foi agora tornada pública após os utentes, estranhando a demora na resolução e a falta de informação, terem denunciado o caso a vários órgãos de comunicação social.