e-paper

Cadáver 12 horas na rua à espera de médico

Cadáver 12 horas na rua à espera de médico

Doze horas caído na horta de casa, morto e a ser "guardado" pela GNR de Faro. Assim esteve um homem de 84 anos. O delegado de saúde tinha o telemóvel desligado. A espera pela confirmação do óbito deixou a família indignada.

Joaquim Palma estava desaparecido desde a tarde de anteontem. Por volta das 17.30 horas disse a familiares que iria dar um passeio. Não chegou a sair de casa, no sítio de Ariolos, na freguesia rural de Estói. Caiu junto a um limoeiro de que costumava tratar e só foi encontrado às 22 horas por um dos elementos da família, que já o procurava, com a ajuda de alguns vizinhos.

Ler mais na versão e-paper ou na edição impressa.