Faro

Orçamento da Câmara de Faro passa com um voto a favor

Orçamento da Câmara de Faro passa com um voto a favor

A Câmara Municipal de Faro anunciou, esta segunda-feira, a aprovação do orçamento para 2016, no montante de 39,1 milhões de euros, apenas com o voto favorável do presidente, tendo passado devido à abstenção dos oito vereadores.

Em declarações à Lusa, o presidente daquele órgão, Rogério Bacalhau (PSD), explicou que o documento foi aprovado após a introdução de duas alterações propostas pelo PS, entre as quais a retirada de 800 mil euros da verba de 9,5 milhões destinada à aquisição de bens e serviços para pagar dívida contraída ao abrigo do Programa de Apoio à Economia Local (PAEL).

Apesar de discordar da retirada daquele valor, para abater a dívida de 15,5 milhões (de um empréstimo de 16,7 milhões) e de entender que a medida "não resolve nenhum problema do município", o autarca disse ter-se visto na obrigação de votar favoravelmente o documento. Caso contrário, não haveria orçamento, alegou.

Na primeira reunião de Câmara dedicada ao orçamento de 2016, em 12 de novembro, o vereador socialista Paulo Neves criticou o aumento da verba face a 2015, destinada à aquisição de bens e serviços, classificando-a como uma "despesa verdadeiramente desinteressante".

A segunda alteração ao documento inicial formulada pelo PS, com o apoio da CDU, foi a de aumentar para quase o dobro a verba destinadas às juntas de freguesia, de 170 mil para 290 mil euros.

O orçamento para 2016, com uma dotação de 39,1 milhões de euros, menos 1,5 milhões do que a 2015, acabou por ser aprovado em reunião extraordinária, na última sexta-feira à noite, com o voto favorável do presidente e as abstenções dos quatro vereadores do PS, três da coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM e um da CDU.

A coligação liderada por Rogério Bacalhau não detém a maioria na Câmara nem na Assembleia Municipal.

PUB

Segundo Rogério Bacalhau, apesar de o orçamento para 2016 praticamente vedar ao município a possibilidade de novos investimentos, está prevista a continuidade de algumas medidas implementadas este ano.

"Vamos continuar, tal como este ano, a apoiar as associações sociais, culturais e desportivas, com 300 mil euros, e vamos também manter as bolsas de estudo, que implementámos este ano", referiu.

Em vista para o próximo ano está também a conclusão de algumas obras que deveriam ter terminado este ano, como intervenções na rede viária e obras de reabilitação nas escolas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG