Lagoa

Imagem de destruição bem visível em Silves

Imagem de destruição bem visível em Silves

Silves mostra, este sábado, um cenário de destruição por toda a cidade. Árvores arrancadas pela raiz, chapas de zinco, telhas e pedras espalhadas pelas ruas e casas sem telhados. A piscina municipal e o campo de jogos ficaram também muito destruídos e a prática desportiva permanecerá suspensa nos próximos tempos.

Jaime Neves, coordenador técnico do Departamento Sócio-Cultural da Câmara Municipal de Silves, disse ao JN que tão cedo não vai haver natação, já que a destruição causada pelo temporal são muito elevados.

Por toda a cidade, a destruição causada está bem patente. Este sábado, a população dedicou o dia a avaliar o grau dos prejuízos causados e a realizar algumas reparações.

Na zona rural que liga Lagoa ao Carvoeiro, as muitas casas isoladas mostram prejuízos muito elevados. As pequenas hortas foram destruídas, com as árvores de frutos e as vedações arrancadas.

Depois do pesadelo desta sexta-feira, os habitantes de Lagoa acordaram, este sábado, com sol a entrar pelas janelas, ou melhor, no que resta delas, já que muitas casas ficaram totalmente destruídas.

"Foram dois minutos de terror absoluto. Estava a preparar-me para sair de casa quando ouvi aquele barulho enorme. Vim à janela e vi tudo a ir pelos ares", contou ao JN Bruno Sousa, enquanto apresentava o relatório dos estragos no posto da GNR de Lagoa, esta manhã repleta de gente na mesma situação.

O rasto de destruição está ainda bem visível na Urbanização Lagoa Sol, na zona nova da cidade. Por ali não faltam relatos do pesadelo vivido na véspera.

"Tinha comprado o meu carrinho há quatro meses e fiquei sem ele", desabafa Armanda Mendes, moradora naquela urbanização.

No local, peritos de várias companhias seguradoras estão a avaliar os prejuízos causados nas habitações, enquanto vários operários dedicam-se à substituição de estores e outras reparações.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG