Tavira

Macário Correia regressa como candidato à Assembleia

Macário Correia regressa como candidato à Assembleia

A Câmara Municipal de Tavira foi um bastião socialista durante os primeiros 21 anos de Poder Local democrático (1976 a 1997). Um ciclo quebrado pelo social-democrata Macário Correia, que governou a autarquia durante três mandatos consecutivos (1997 a 2009) e regressa este ano como candidato à presidência da Assembleia Municipal pelo PSD.

Recorde-se que Macário Correia foi condenado a perda de mandato, por causa de irregularidades no licenciamento de obras e a quatro anos e meio de prisão, com pena suspensa. As condenações foram conhecidas quando já era presidente da Câmara de Faro (foi eleito em 2009), mas diziam respeito a crimes cometidos quando foi presidente da Câmara de Tavira.

Para cabeça de lista à Câmara de Tavira, o PSD escolheu o independente Dinis Faísca, que foi padre durante 14 anos e chefe de gabinete do presidente da Câmara de Castro Marim.

Em 2009, coincidindo com a saída de Macário Correia, os socialistas recuperaram a liderança da autarquia com Jorge Botelho (a primeira de três vitórias consecutivas). Botelho, atual secretário de Estado da Descentralização e Administração Local, saiu da Câmara em 2019, para se candidatar à Assembleia da República. Foi a sua vice-presidente Ana Paula Martins quem assumiu então a presidência do município e é ela quem agora se apresenta como cabeça de lista pelo PS. Foi vereadora com os pelouros da Administração e Finanças entre 2009 e 2013 e vice-presidente entre 2013 e 2019.

Pela CDU avança a advogada Elisabete Romão e, pelo Chega, Pedro Ferreira.

Nas autárquicas de 2017, o PS foi o partido mais votado, com 58,35%, conquistando cinco dos sete mandatos. O PSD obteve 22,01%, (dois mandatos), o BE 4,68% e a CDU 4,54%.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG