Funchal

Cadela Kitty viveu oito anos acorrentada e finalmente foi resgatada

Cadela Kitty viveu oito anos acorrentada e finalmente foi resgatada

"Chama-se Kitty e é uma São Bernardo". Assim a apresenta a associação Ajuda a Alimentar Cães, sediada na ilha da Madeira, que denunciou, nas redes sociais, o mau estado em que a cadela foi encontrada, oito anos depois de ter sido vendida.

"Oito anos presa. Oito anos sem saber o que é a liberdade", começa por dizer a associação, num texto publicado, no sábado, nas redes sociais, acompanhado de fotos e vídeo de Kitty quando a encontraram "acorrentada a uma árvore numa propriedade onde não mora ninguém". "Está muito doente. Tentou ladrar mas não consegue porque começa a tossir".

"A tristeza no olhar desta menina é devastador, parece que implora por ajuda", disse ainda a associação, que foi ao local e, com o apoio da PSP, resgatou a Kitty.

A cadela foi transportada para o Hospital Veterinário da Madeira, no Funchal, "mas é tudo muito caro". "As análises e os tratamentos serão impossíveis de suportar sem o vosso apoio", confessa a Ajuda a Alimentar Cães.

"Custa-nos tocar no corpo da Kitty, o pêlo disfarça os ossinhos. Está muito magra e com poucas forças. E custa-nos saber que sozinhas não a vamos conseguir salvar". A associação pede agora ajuda para salvar a vida do animal e garante que não vai "permitir que mais ninguém acorrente ou maltrate a Kitty".

"Pedimos um donativo, um pequeno donativo para darmos autorização ao Hospital para fazerem qualquer tratamento necessário". Os donativos podem ser feitos por transferência bancária (IBAN: PT 50 0010 0000 5209 0190 0019 1) ou Paypal. A Ajuda a Alimentar Cães vai divulgando casos como o da Kitty também no Instagram.

Ainda no sábado à noite, foi partilhada mais uma atualização sobre a cadela nas redes sociais. "A Kitty no Hospital Veterinário da Madeira onde já fez várias análises. Tem febre e dirofilária".