Funchal

Governo da Madeira aprova voto de louvor a major-general afastado pelas Forças Armadas

Governo da Madeira aprova voto de louvor a major-general afastado pelas Forças Armadas

O Governo da Madeira aprovou esta segunda-feira um voto de louvor ao major-general Cardoso Perestrelo, exonerado de funções por permitir que um civil disparasse uma salva de canhão, "pelos elevados serviços prestados enquanto responsável pelo Comando Operacional da Madeira".

Esta foi uma das deliberações da reunião semanal do Conselho do Governo madeirense, de coligação PSD/CDS e liderado pelo social-democrata Miguel Albuquerque, que decorreu na Quinta Vigia (Presidência do Governo da Madeira), no Funchal.

"O Governo Regional da Madeira, reunido em sessão plenária, decidiu louvar o senhor major-general Carlos Alberto Grincho Cardoso Perestrelo, pelos elevados serviços prestados enquanto responsável pelo Comando Operacional da Madeira (COM)", declarou aos jornalistas o porta-voz do encontro, o vice-presidente, Pedro Calado.

Neste voto de louvor, o executivo madeirense destaca o "elevado empenho" de Cardoso Perestrelo, que "sempre colocou o seu conhecimento e os recursos sob seu comando ao serviço das mais diversas iniciativas de cooperação com as entidades regionais, quer ao nível ambiental e da salvaguarda da floresta, quer nas diferentes formas de parceria e cooperação que foram conseguidas ao longo desse tempo".

É também destacado o "exemplar dinamismo com que conseguiu realizar eventos de nível nacional na Madeira, contribuindo desse modo também para a divulgação de uma imagem positiva e de grande prestígio da instituição militar junto da população".

O executivo releva o seu "destacado pioneirismo em diversas iniciativas" no arquipélago, como o programa "Alista-te por um dia", com uma aproximação entre as instituições militares e a comunidade escolar.

PUB

A "vigorosa liderança com que, através do Regimento de Guarnição N.º 3 da Zona Militar da Madeira, preparou o oitavo contingente nacional, maioritariamente composto por jovens militares da Madeira, para o cumprimento de missão operacional no Iraque" é outro aspeto elogiado pelo governo insular.

No dia 24 de outubro, o Estado-Maior General das Forças Armadas (EMGFA) comunicou que este militar fora exonerado das funções que exercia na Madeira por permitir que um civil disparasse uma salva num canhão do exército durante uma prova de golfe, no Santo da Serra.

"A prática do uso de peças de artilharia e de militares uniformizados em cerimonial para realizar salvas em torneios de golfe não era do conhecimento do Estado-Maior General das Forças Armadas", declarou então o porta-voz do EMGFA, Pedro Serafim.

Cardoso Perestrelo foi de imediato substituído pelo contra-almirante Dores Aresta, que chegou nesse mesmo dia à Madeira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG