Aviação

Mau tempo condiciona aeroporto da Madeira

Mau tempo condiciona aeroporto da Madeira

O mau tempo que afeta a Madeira está a condicionar este domingo o movimento no Aeroporto Cristiano Ronaldo, tendo dois voos provenientes de Paris e Londres divergido e optado por regressar às respetivas origens.

Fonte do aeroporto adiantou à agência Lusa que o avião da Transavia France, oriundo de Paris e com chegada prevista para as 11.40 horas, e o da British Airways, do aeroporto londrino de Heathrow e que devia aterrar pelas 13 horas na Madeira, "divergiram e voltaram às origens".

"Até às 10.25 horas, hora em que aterrou no aeroporto da Madeira um avião da TAP vindo do Porto, esteve tudo normal", referiu.

Alertando não poder adiantar mais informações, que remeteu para a Aeroportos de Portugal (ANA), em Lisboa, a fonte mencionou não ter indicações sobre outras duas chegadas que constam da página online, nomeadamente um voo da Jet2.Com, de Leeds, que tinha aterragem marcada para as 11.55 horas, e um da SATA proveniente de Ponta Delgada, Açores, que estava previsto chegar às 12.10 horas.

Devido às condições atmosféricas adversas, nomeadamente forte precipitação, trovoadas e vento, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou o arquipélago da Madeira sob aviso amarelo entre as 9 horas deste domingo até às 00.00 horas de terça-feira. Este aviso é laranja para as regiões montanhosas, até às 9 horas de segunda-feira.

A capitania do Porto do Funchal emitiu um aviso de má visibilidade para a zona costeira, recomendando que as embarcações regressem aos portos de abrigo.

Também a Porto Santo Line, concessionária do Lobo Marinho, o navio que assegura as ligações entre as ilhas da Madeira e Porto Santo, cancelou as viagens programadas para hoje e segunda-feira, considerando que o mau tempo colocava em causa "a segurança da embarcação e dos passageiros".

Por seu turno, o Serviço Regional de Proteção Civil da Madeira emitiu um conjunto de recomendações, entre as quais pedidos para uma condução mais cuidadosa, para se evitar zonas de perigo com árvores ou na zona costeira, assim como em espaços com estruturas, como andaimes, gruas.

Alertou ainda para uma atenção redobrada a elementos destinados a escoamento de águas e a objetos em varandas.

Outras Notícias