Funchal

"PS de Sócrates não era diferente do PSD do doutor Jardim"

"PS de Sócrates não era diferente do PSD do doutor Jardim"

O presidente do CDS/PP-Madeira, José Manuel Rodrigues, afirmou que "o PS do engenheiro José Sócrates não era muito diferente do PSD do doutor Jardim", considerando que ambos governam a gastar.

"Só sabem governar a gastar, com mais e mais despesas, com mais e mais dívida, hipotecando o futuro das novas gerações", afirmou este Sábado, José Manuel Rodrigues, no comício do 37.º aniversário do partido, que decorreu no Funchal.

Perante centenas de pessoas, onde se incluíam os ministros centristas no Governo, de coligação PSD/CDS-PP, o responsável salientou que "a Madeira está à beira da falência" e quem conduziu a região para esta situação foi "o PS no continente e o PSD na Madeira".

"É por isso que as mesmas razões que levaram o CDS a ser oposição sem tréguas ao PS na República por governar pelo lado da despesa e pelo lado de mais dívida são as mesmas razões que levam o CDS na Madeira a ser uma oposição forte ao PSD e ao Governo Regional", declarou o líder do partido no arquipélago.

Admitindo que o PSD-Madeira "fez coisas boas" e teve "méritos", o também deputado centrista na Assembleia da República esclareceu, contudo, que os sociais-democratas executaram coisas "más" e tiveram "defeitos".

A este propósito assinalou que "a Madeira tem uma dívida de seis mil milhões de euros" e "o Governo Regional entrou em incumprimento com a banca, com os fornecedores e com as empresas privadas, sendo responsável por muitas falências nesta região".

O dirigente do CDS-PP apontou, ainda, o desemprego, que "atinge 20 mil pessoas", e a existência "70 mil madeirenses que passam por muitas privações".

PUB

Referindo-se ao PSD-M como "um partido decadente e incapaz de tirar a Madeira do atoleiro político, financeiro, económico e social em que se encontra", o presidente do CDS/PP-M dirigiu-se, também, aos pequenos partidos da região, que acusou de "prometer o céu na terra porque sabem que nunca serão governo".

À agência Lusa, José Manuel Rodrigues disse que o objectivo do partido nas eleições legislativas regionais de 9 de Outubro é derrotar o PSD, garantindo que, na eventualidade dos sociais-democratas não conseguirem nova maioria absoluta, o CDS rejeita uma coligação.

"O PSD tinha que mudar o seu comportamento político, a sua forma de governar, os seus objectivos de desenvolvimento económico que estão claramente esgotados, portanto com este PSD nunca", garantiu, admitindo que o CDS-PP na Madeira pode beneficiar do resultado das eleições legislativas nacionais: "O partido está em crescimento consolidado", observou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG