Pandemia

Morreu um dos três doentes com covid-19 transferidos para a Madeira

Morreu um dos três doentes com covid-19 transferidos para a Madeira

Um dos três doentes com covid-19 transferidos de unidades do território continental para o Hospital do Funchal morreu esta terça-feira, informou a Secretaria da Saúde do arquipélago.

"Um dos utentes falecidos hoje é um dos três doentes provenientes do território continental, com diagnóstico de covid-19 internado na Unidade de Cuidados Intensivos", lê-se numa nota na Secretaria da Saúde.

No comunicado é ainda referido que "a situação já é do conhecimento da família".

Na região registaram-se esta terça-feira outras duas mortes devido ao novo coronavírus, de um homem com 76 anos e de uma mulher com 84 anos, residentes na Madeira, que estavam internados na Unidade Polivalente covid-19 do Hospital Dr.Nélio Mendonça, no Funchal, e tinham "comorbilidades associadas".

Na nota é ainda referido que um dos dois outros doentes que foram transferidos de hospitais de Lisboa para a Madeira saiu esta terça-feira da Unidade de Cuidados Intensivos, estando agora na Unidade Polivalente covid-19.

O outro doente mantém-se nos Cuidados Intensivos.

PUB

Segundo os dados divulgados esta terça-feira pela Direção Regional de Saúde, a Madeira registou 88 novos casos de covid-19, totalizando 1.758 situações ativas.

Desde o início da pandemia, a Madeira já teve um total de 5974 doentes confirmados e 4160 recuperados.

Na noite do dia 29 de janeiro, a Madeira recebeu três doentes com covid-19 dos cuidados intensivos de hospitais de Lisboa.

A transferência decorreu na sequência da disponibilidade manifestada pela Região Autónoma da Madeira para receber doentes críticos do Serviço Nacional de Saúde do continente, sendo que o transporte aéreo foi assegurado pelo Ministério da Defesa Nacional, através de um avião C-130 da FAP.

Um comunicado conjunto dos ministérios da Defesa e da Saúde esclareceu, nesse dia, que a operação contou com a "necessária autorização das respetivas famílias", num processo que assentou numa estreita articulação entre os Serviços de Medicina Intensiva envolvidos e a Comissão de Acompanhamento da Rede Nacional de Medicina Intensiva (CARNMI), o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), a Força Aérea Portuguesa (FAP) e o Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira (Sesaram).

A região autónoma dispõe de 228 camas para a área covid-19, em dois hospitais do Funchal, e tem capacidade para tratar 47 doentes em cuidados intensivos.

Na quarta-feira, o presidente do Governo da Madeira, o social-democrata Miguel Albuquerque, anunciou que a região ia receber mais três doentes com covid- 19 dos cuidados intensivos dos hospitais do continente, mas a operação ainda não foi divulgada.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG