Ribeira Brava

Turistas retirados de pousada devido a um incêncio

Turistas retirados de pousada devido a um incêncio

Os turistas alojados numa pousada na Encumeada, na Ribeira Brava, foram transferidos esta quarta-feira para o Funchal devido à proximidade do incêndio que lavra desde terça-feira naquele concelho.

"Fechámos a pousada e os cerca de 20 turistas foram esta madrugada para outras unidades hoteleiras que temos no Funchal", revelou à agência Lusa uma funcionária, explicando que a decisão foi tomada por "precaução" dada a proximidade do incêndio.

Também na terça-feira os turistas que se encontravam numa outra unidade hoteleira no local foram encaminhados para o Funchal, "mas já regressaram", adiantou outra fonte.

O vice-presidente da Câmara da Municipal da Ribeira Brava, Marcelino Pereira, disse à Lusa que os bombeiros "estão a abastecer nas levadas, porque têm mais água do que nas condutas", e também "para evitar que a população fique sem abastecimento público de água".

Marcelino Pereira adiantou que "algumas condutas arderam", mas a sua reparação vai ser entretanto desencadeada.

A estrada da Encumeada, em direção ao Paul da Serra e São Vicente, está cortada devido ao incêndio e eventual queda de pedras, informou a PSP.

"Os meios da câmara e da Direção de Estradas da Madeira estão já a proceder à limpeza das vias", esclareceu a polícia.

O presidente do Serviço Regional da Proteção Civil, Luís Neri, explicou que este incêndio progride em direção ao Paul da Serra, estando no local meios dos bombeiros e da Polícia Florestal.

Luís Neri acrescentou que o fogo na Ponta do Pargo, concelho da Calheta, continua também por controlar, mantendo-se no local cerca de 35 homens e 12 viaturas de várias corporações da região.

O responsável realçou que "o vento, que não é constante, aliado às temperaturas altas, na ordem dos 32º, e a humidade relativamente baixa" estão a dificultar o trabalho dos bombeiros.