Santa Cruz

Cinco dos 27 feridos de acidente na Madeira ainda correm risco de vida

Cinco dos 27 feridos de acidente na Madeira ainda correm risco de vida

Das 27 pessoas que ficaram feridas num acidente na Madeira, cinco ainda correm risco de vida. Nove pessoas tiveram alta, estando ainda 19 hospitalizadas. Autoridades confirmam 29 mortos, todos estrangeiros.

Em conferência de imprensa, esta quinta-feira de manhã, as autoridades madeirenses confirmaram a morte de 29 pessoas, todas estrangeiras, num acidente, quarta-feira à tarde, no Caniço, no concelho de Santa Cruz, na Madeira. Há 18 mulheres e 11 homens entre as vítimas mortais, presumivelmente todos passageiros do autocarro acidentado, que tinha acabado de sair de um hotel.

Os representantes madeirenses não confirmaram a morte de um transeunte, uma pessoa que estaria a passar a pé junto ao local do acidente e que teria sido atropelada pelo autocarro.

Dos feridos, segundo balanço feito esta quinta-feira de manhã, há quatro pessoas nos cuidados intensivos e uma nos cuidados cirúrgicos. São os casos mais graves que os médicos têm ainda em mãos.

Dos 27 feridos que ontem deram entrada no hospital, nove tiveram alta entretanto. Entre as 18 pessoas atualmente hospitalizadas, oito estão no serviço de ortopedia.

O Governo Regional da Madeira decretou três dias de luto, no que foi acompanhado, esta quinta-feira, pelo Governo central, que decretou três dias de luto nacional.

"O Conselho de Ministros aprovou hoje o decreto que declara os dias 18, 19 e 20 de abril como dias de luto nacional, como forma de expressão de pesar e de solidariedade de toda a população nacional para com as vítimas, e suas famílias, do trágico acidente com um autocarro de turismo, na Região Autónoma da Madeira, que provocou a perda irreparável de vidas humanas", lê-se num comunicado hoje divulgado.

Esta quinta-feira, a chanceler alemã, Angela Merkel, exprimiu "tristeza e choque" com o acidente que vitimou 29 conterrâneos e agradeceu o trabalho dos socorristas na Madeira, enquanto o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, manifestou "profunda tristeza" com o acidente.

Esta foi a primeira reação de um líder europeu ao acidente de quarta-feira à tarde. "Os nossos pensamentos estão com todas as vítimas, as suas famílias e amigos", adianta o líder do executivo comunitário.

O Instituto Nacional de Medicina Legal enviou uma equipa de Lisboa para reforçar o gabinete do Funchal, que chegou à Madeira esta madrugada, estando já a trabalhar. Entretanto, o Ministério Público abriu um inquérito ao acidente, que se assemelha a outro ocorrido há 13 anos. A 23 de dezembro de 2005, um autocarro de turismo capotou, em São Vicente, provocando cinco mortos e três feridos graves, entre os quais um bebé de nove meses..

Imobusiness