Exclusivo

Doentes psiquiátricos sem urgência 24 horas na Guarda

Doentes psiquiátricos sem urgência 24 horas na Guarda

Os médicos psiquiatras do departamento de saúde mental da Guarda pediram escusa de responsabilidade desde que, em agosto, o diretor renunciou ao cargo e o serviço passou a ser tutelado pela dermatologista Fátima Cabral, que também é diretora clínica da Unidade local de Saúde.

"É evidente que ninguém aceita que um serviço desta sensibilidade possa estar nãos mãos de quem está à margem da especialidade", diz um dos clínicos que prefere não ser identificado.

Mal o médico Pissarra da Costa renunciou à direção que tinha assumido provisoriamente em maio do ano passado, os psiquiatras deixaram de estar disponíveis para assegurar urgências fora do tempo regulamentar. "Nos últimos meses têm vindo muitos doentes da Covilhã, mas terão de ser encaminhados para outro lado, dado que a urgência de 24 horas deixa de existir", evidencia a mesma fonte.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG