Reforço

Hospital da Guarda com mais 34 camas para doentes covid

Hospital da Guarda com mais 34 camas para doentes covid

Reforço de 72 para 100 camas coincide com emergência de novos surtos na região da Guarda.

O Hospital Distrital da Guarda, unidade de segunda linha no combate à covid-19 na região centro, acaba de elevar o número de camas disponíveis de 72 para 106. A decisão surge na sequência de uma reunião da Administração da Unidade local de Saúde (ULS) com os diretores de serviço, durante a qual foi preciso chegar a acordo quanto aos locais suscetíveis de serem convertidos em resposta à pandemia. "É reposta a capacidade instalada na primeira fase da pandemia em março", disse ao JN fonte hospitalar.

De acordo com João Barranca, que preside à ULS, "é o número de camas suficientes para evitar que cenários de sobrelotação como os da semana passada na urgência geral não se repitam" - uma referência às imagens divulgadas na comunicação social que evidenciavam doentes amontoados nos corredores.

A pressão sobre o hospital é, contudo, uma realidade, já que esta semana lotou a Unidade de Cuidados intensivos (UCI) com 12 internados assim como as 60 camas existentes das duas alas covid.

Covilhã pondera reforço de 30 camas

O Centro Hospitalar Universitário da Cova da Beira pondera abrir mais uma enfermaria dirigida a doentes covid, o que, a confirmar-se, pode traduzir-se no reforço de mais 30 camas. Atualmente, a unidade hospitalar tem 80 internados em enfermaria e dispõe de apenas duas vagas. Na Unidade de Cuidados Intensivos estão internadas sete pessoas, restando apenas uma cama. Avalia-se para já a possibilidade de converter o espaço atual do recobro e da Unidade de Cuidados agudos diferenciados (UCAD).

PUB

Surto na Misericórdia de Fornos de Algodres

Depois do teste positivo de uma auxiliar residente na freguesia de Figueiró da Granja, onde há vários casos na comunidade, a Santa Casa da Misericórdia de Fornos de Algodres avançou para o rastreio do lar e da Unidade de Cuidados Continuados, tendo sido detetados 49 casos entre utentes e funcionários.

"Não há casos graves, os utentes e doentes são monitorizados a todo o momento e fazemos de tudo para que se imponha o internamento de nenhum deles porque sabemos que o hospital está congestionado", disse ao JN o diretor clínico da instituição, Raul Caçador.

No mesmo concelho, há ainda surtos ativos no lar das freguesias de Maceira e de Vila Ruiva, com pelo menos 40 infetados. Na Guarda, a Escola Carolina Beatriz Ângelo fechou o refeitório e ordenou que duas turmas de 5.º ano ficassem em casa em isolamento profilático, depois de alunos e funcionários terem acusado positivo. Até ao final da próxima semana, as refeições serão fornecidas pela Escola de São Miguel, do mesmo Agrupamento Escolar da Sé. No Centro Escolar do Mondego, na localidade de Porto da Carne, concelho da Guarda, os alunos do pré-escolar estão em casa e as refeições são asseguradas pelo município. Também ali três auxiliares, incluindo a cozinheira, testaram positivo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG