JN Rede de Notícias

As últimas mãos que tecem os cobertores de papa

As últimas mãos que tecem os cobertores de papa

Em Maçainhas, Guarda, fazem-se ainda de forma tradicional os únicos cobertores de papa. Os quatro últimos funcionários da antiga fábrica José Freire (encerrada há vários anos) recuperaram os equipamentos e evitaram um ponto final nesta arte única no mundo. Tudo é feito de forma manual, garantindo a autenticidade do produto, cuja procura supera a oferta.

Numa das salas da fábrica, a antiga estrutura de madeira rodopia enquanto se vão nivelando os fios da lã de ovelha churra, lavados dias antes. Rosa Baía, de 83 anos, é a responsável pelo processo inicial de formação dos fios que servem de base ao fabrico dos cobertores.

Leia mais em Jornal do Fundão