País

Circulação suspensa durante sete meses na linha da Beira Baixa

Circulação suspensa durante sete meses na linha da Beira Baixa

"Inadiáveis intervenções" de modernização do troço entre a Guarda e a Covilhã, na linha da Beira Baixa, estão na origem de mais uma suspensão da circulação ferroviária entre as duas cidades.

Desde ontem, e durante os próximos sete meses - o prazo apontado pela REFER -, a ligação será efectuada por autocarros, que param em todas as estações e apeadeiros no mesmo horário dos três comboios que fazem diariamente o percurso em cada sentido. Segundo a REFER, trata-se da primeira fase dos trabalhos de reabilitação e electrificação da via, orçada em cerca de nove milhões de euros.

A empreitada já leva um ano de atraso, pois, inicialmente, previa--se que a totalidade das obras de reabilitação estivessem concluídas em 2008, o que permitiria fazer os 119 quilómetros entre a Guarda e Castelo Branco em apenas 32 minutos.

Actualmente, a REFER está a trabalhar na modernização da linha desde Mouriscas (Castelo Branco) e Guarda. A intervenção no troço entre esta cidade e a Covilhã, com uma extensão de 47 quilómetros, prevê a renovação integral da via, rectificação do traçado, electrificação do troço e remodelação de várias estações.

Os idosos e os estudantes são os principais passageiros deste meio de transporte entre as duas cidades, que se faz desde 2004 em automotora Allan 350.

O Governo conta investir cerca de 150 milhões de euros para encurtar e electrificar as ligações ferroviárias entre as três principais cidades da Beira Interior. O objectivo é aumentar a velocidade média de circulação (de 80 para 100 km/h).

ver mais vídeos