Pandemia

Reclusos infetados colocam mais de 200 em isolamento na cadeia da Guarda

Reclusos infetados colocam mais de 200 em isolamento na cadeia da Guarda

Desde esta sexta-feira à noite que os 206 reclusos do Estabelecimento Prisional (EP) da Guarda estão em isolamento profilático. A decisão impôs-se depois do rastreio efetuado na quarta-feira identificar a doença provocada pelo Sars-Cov2 em três presos.

Têm todos menos de 50 anos e residem em diferentes zonas prisionais da instituição, mas tudo aponta que tenham sido infetados durante as saídas precárias autorizadas no Natal e no Ano Novo.

A direção do Estabelecimento Prisional da Guarda decidiu suspender as visitas e autorizar apenas que os reclusos saiam ao recreio em pequenos grupos, mas sem participarem em atividades lúdicas. Os trabalhos que habitualmente faziam nas oficinas continuam, na medida do possível, dentro das respetivas celas.

Em dez meses de pandemia é a primeira vez que há reclusos infetados. O rastreio abrangeu ainda os 53 reclusos da extensão localizada na freguesia de Cavadoude, Guarda, onde já funcionou o Instituto de Reeducação, mas todos os testes foram negativos.

Entre os 98 guardas-prisionais há dois infetados e outros dois em isolamento profilático em casa, depois de terem contactado com familiares que também testaram positivo.

O JN contactou o diretor da cadeia da Guarda, mas Luís Couto não quis prestar esclarecimentos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG